Bolinho de chuva

Bolinho de chuva, para distrair as crianças em dias molhados e frios, bolinho pingado porque a massa pinga como goteira no óleo, bolinho da lua porque vira sozinho. Se você conhece mais alguma forma de chamar esses bolinhos deliciosos, bons de serem comidos ainda quentinhos, crocantes por fora e macios por dentro, nos conte.  

Bolinho de chuva


6 colheres de sopa de açúcar

2 ovos

2 e 1/2 xícaras de farinha de trigo

1 pitada de sal

3/4 xícara de leite

1/4 xícara de iogurte integral

1 colher de sobremesa de extrato de baunilha

1 colher de café de fermento em pó

Óleo de soja para fritar

Para envolver o bolinho

1 xícara de açúcar

2 colheres de sopa de canela em pó

Modo de preparo

Bata o açúcar com os ovos, até formar um creme leve e com borbulhas. Adicione o extrato de baunilha e o sal.

Peneire a farinha e o fermento e acrescente-os à mistura, alternando com o leite. A massa deve ficar mais espessa que de um bolo. É  o ponto perfeito. Se a massa ficar muito líquida o bolinho vai  "encharcar".  Deixe repousar. 

Numa tigela peneire o açúcar e a canela e reserve para finalizar os bolinhos.

Coloque numa panela pequena, mas alta, pouco mais de meio litro de óleo.  Frite os bolinhos em óleo não muito quente, até que dourem de todos os lados. Não deixe o óleo aquecer demais ou os bolinhos fritam por fora mas ficam crus no meio. Uma boa estratégia é ligar e desligar o fogo para controlar a temperatura enquanto frita. Frite quatro ou cinco por vez.

Outra dica: para formar os bolinhos use duas colheres de sopa, mergulhe-as num potinho com óleo e em seguida pegue uma colherada de massa, com a segunda colher tire o excesso e faça a massa escorrer para dentro do óleo, com cuidado para que o bolinho fique bem arredondado.

Retire os bolinhos e deixe escorrer em papel toalha, em seguida passe no açúcar e canela. 

Variação : corte rodelas grossas de panela e coloque-as aos poucos na massa. Ao pegar com a colher a massa pegue junto um pedaço de banana. Frite normalmente.